domingo, 22 de março de 2009

Piranha de Tal


Este poema foi feito depois de assistir à cenas chocantes de prostituição infantil. Mães que vendem filhas por pouca coisa e corrompe a juventude e destrói uma personalidade. Por isso fiz esta poesia. Com dor no coração, aperto no peito, revolta e uma grande vontade de lutar contra este tipo de abuso.

PIRANHA DE TAL

Meu nome é fulana
Sou boa de cama
Traiçoeira na briga
Na luz do dia sou ainda menina
À noite me transformo
Rodo bolsinha
Eu sou a cicrana
Mulher do mal
Sou teu caos

Fulana de tal
Aposto no vil metal
Meu corpo pede ouro
Cédulas verdes
Ou outra cor qualquer
Pra saciar minha fome matar
Beltrana sacana
Prostituta de encomenda
Mulher vulgar

Deito com homens
Fabrico fantasias
Fetiches para fantoches
Sou mulher da vida
Meu nome é piranha
Sou mestre no deboche
Piranha fatal
Meu nome?
Prostituta da rua
Piranha de tal

3 comentários:

  1. Bom encontrá-la por aqui;eu não sabia deste blog.Adoro este texto e uma vez postei-o no Gos...Grande beijo no coração.Já estou seguindo-a.

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Envie pedido pelo Gmail onde está o meu blog. Beijos

      Excluir

Agradeceria se você deixasse sua mensagem.

Related Posts with Thumbnails